Olhar Digital - Últimas Notícias

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Sistemas Especialistas - baseado em regras de produção

 
Sistemas especialistas são programas de computador que procuram encontrar soluções para determinados problemas do mesmo modo que se espera que os especialistas humanos resolvam se estiverem sob as mesmas condições.
São sistemas com um conhecimento profundo sobre campos restrito sdo  conhecimento. Os sistemas especialistas aplicam técnicas de Inteligência Artificial e conhecimento amplo em problemas específicos para simular a atuação de especialistas humanos.  
Para auxiliar  na  construção  de  sistemas  especialistas  foram  criadas  ferramentas  de Inteligência Artificial orientadas para engenharia do conhecimento e construção de  sistemas especialistas denominadas shells, que estão aptas a realizar muito do trabalho necessário para transpor  um  sistema  especialista  para  o  computador.  Essas  ferramentas  permitem  que  o desenvolvedor  do  sistema  preocupe-se  somente  com  a  representação  do  conhecimento  do especialista,  deixando  para  a  shell  a  tarefa  de  interpretar  o  conhecimento  representado  e executá-lo  em  uma máquina,  além  de  permitir  explicações  de  como  o  computador  chegou aquela(s) conclusão(ões). 
A principal função de uma shell é simplificar ao máximo  o trabalho de  implementação  de  um  sistema  especialista  e  permitir  seu  uso  por  qualquer  pessoa  sem conhecimentos de informática .
Os sistemas especialistas caracterizam-se pela manipulação de informações compostas por  fatos a  respeito do assunto e  regras  formais que descrevem  relações. Estas  informações compõem a chamada base de conhecimentos sobre a qual será feito o processamento. A fase de construção da base de conhecimentos é uma das mais complexas na implementação de um sistema  especialista,  pois  o  conhecimento  de  um  especialista  não  encontra-se  formalizado, precisando portanto de um trabalho prévio para tal. 
Desenvolverei um Sistema Especialista baseado em regras de produção utilizando a ferramenta shell produzida aqui mesmo no estado do Ceará chamada Expert Sinta.
Nela, implementarei um sistema especialista baseado em DST´s (Doenças sexualmente transmissíveis) tendo como foco principal cinco (5) das mais comuns.
O nome do sistema especialista seria Descuta.



As DST´s que podem ser diagnosticadas pelo DeScuTa são:

 1. Sífilis
 2. Gonorréia
 3. Candidiase
 4. Herpes Simples
 5. HPV

As Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) são doenças causadas por vários tipos de agentes. São transmitidas, principalmente, por contato sexual sem o uso de camisinha, com uma pessoa que esteja infectada e, geralmente, se manifestam por meio de feridas.
Algumas DST são de fácil tratamento e de rápida resolução. Outras, contudo, têm tratamento mais difícil ou podem persistir ativas, apesar da sensação de melhora relatada por pacientes. As mulheres, em especial, devem ser bastante cuidadosas, já que, em dia o tratamento tem como principal objetivo interromper a cadeia de transmissão da enfermidade. O atendimento e o tratamento de DST são gratuitos nos serviços de saúde do SUS.
Os objetivos específicos são:
a)  estudo  sobre  sistemas  especialistas  baseados  em  regras  de  produção  e  seus componentes;
b)  estudo da ferramenta Expert SINTA Shell;
c) estudo das técnicas de Data Mining , em específico regras de produção;
d) formalização do conhecimento através de regras de produção;
e) implementação do protótipo;

TELA DE ABERTURA




EXEMPLO DE PERGUNTAS AO PACIENTE


RESULTADO DAS PERGUNTAS




ARVORE DE PESQUISA


 
TODOS OS RESULTADOS


VARIAVEIS


O SISTEMA ESPECIALISTA

VARIAVEIS - OBJETIVO

 
  INTERFACE


REGRAS DE PRODUÇÃO

 

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Estrutura de dados - árvores



Nomenclatura

- Raiz: é o nó de mais alto nível da árvore (primeiro nó da árvore);
- Folha: nó com grau igual a zero;
- Nível: é o número de nós que vai da raiz até um determinado nó;
- Altura: Nível mais alto da árvore;
- Pai: a raiz de uma subárvore é pai das raízes de suas subárvores;
- Filho: os nós-raízes de uma subárvore; e
- Irmão:  nós raízes das subárvores de mesmo nível.




"Especialistas em produtividade dizem que as soluções são obtidas pensando-se de maneira não-linear."

Afinal, o que significa não-linear já tão defendido por especialistas?
São relacionamentos organizacionais mais ricos que simples relações do "antes" e "depois" entre objetos em uma sequencia.

Atalho na organização de dados: permitem implementar uma série de algoritmos de forma mais rápida do que usando estruturas de dados lineares, tais como listas, vetores ou sequencias.

OS RELACIONAMENTOS PODEM SER HIERÁRQUICOS

Ex: árvores genealógicas.


TIPO ABSTRATO DE DADOS ÁRVORE

Uma árvore é um tipo abstrato de dados que armazena elementos de maneira hierárquica. Com excessão do elemento do topo (raiz), cada elemento da árvores tem um elemento pai e zero ou mais elementos filhos.

Estrutura de dados contendo um número finito de elementos que pode estar vazia ou particionada em subconjuntos. O primeiro subconjunto contém um único elemento chamado raiz. Os outros subconjuntos são, em si mesmo árvores, chamados subárvores. Essa é um definição recursida de árvore.

árvore > raiz + árvores
                    > raiz + árvores                       
                                    > ...


PROPRIEDADES BASICAS E TERMINOLOGIA

Uma árvore T é um conjunto de nós que armazena elementos em relacionamentos pai-filho com as seguintes propriedades:

* T tem um nó especial r, chamado de raiz de T;
* Cada nó v e T diferente de r tem um nó pai u.

Propriedades:

* Se um nó u é pai de nó v, então dizemos que v é filho de u;
* Dois nós que são filhos do mesmo pai são irmãos;
* Um nó é externo se não tem filhos e são conhecidos com folhas;
* Um nó é interno se tem um ou mais filhos;


Na maioria dos sistemas operacionais, os arquivos são organizados de forma hierárquica utilizando o conceito de diretório ou pasta. As pastas, nessa árvore hierárquica de diretório, representam os nós internos, enquanto que os arquivos são os nós externos.

* Uma subárvore de T enraizada no nó v é a árvore formada por todos os descendentes de v em T (incluindo o próprio v);
* O ancestral de um nó é qualquer nó acima de sua hierarquia que possui relação de pai como seu pai ou o pai dele e assim sucessivamente;
* O descendente segue o mesmo conceito de forma inversa



A relação de herança entre classes de um programa java forma uma árvore. A classe java.lang.Object é ancestral de todas as demais classes.

* Uma árvore é ordenada se existe uma ordem linear definida para os filhos de cada nó, ou seja, se podemos identificar os filhos de um nó como sendo o primeiro, segundo, terceiro e assim por diante. tal ordenação é determinada pelo uso que se quer dar a árvore;
*  Uma árvore binária é uma árvore ordenada na qual todo nó tem, no máximo dois filhos:

video 



+ uma árvore binária é própria se cada um dos seus nós tiver zero ou dois filhos;
+ para cada nó interno de uma árvore binária, nomeamos cada filho como filho da esquerda e filho da direita;
+ as subárvores enraizadas no filho da esquerda ou da direta. são chamadas de subárvore esquerda e subárvore direita, respectivamente.

árvore de decisão sobre escolaridade



árvore de decisão sobre expressão aritmética

MÉTODOS DE ÁRVORES

O TAD árvore armazena elementos em posições, como as de uma lista, que são definidas em relação às posições de seus vizinhos. As posições de uma árvore são seus nós, e o posicionamento pela vizinhança satisfaz as relações pai-filho que definem uma árvore válida. Como as posições de uma lista, um objeto posição para uma árvore suporta os métodos:

elemento(): retorna o objeto nesta posição
entrada: nenhuma
saida: objeto

raiz(): retorna a raiz da árvores
entrada: nenhuma
saída: posição

filhos(): retorna um iterador sobre os filhos do nó v.
entrada: posição
saída: iterador de posição

Além dos métodos de acesso fundamental acima, pode-se apresentar os seguintes métodos de consultas:

ehinterno(): testa se um nó v é interno
entrada: posição
saída: booleano

ehexterno(): testa se um nó v é externo
entrada: posição
saída: booelano
 
ehraiz(): testa um nó v é raiz
entrada: posição
saída: booleano

INTERFACE SIMPLES de uma árvore em java

public interface arvore {
 
// método de acesso
               public No raiz();
               public No pai(No v);
               public No filhos (No v);
// métodos de consulta
              public boolean ehInterno();
              public boolean ehExterno();
              public boolean ehRaiz()
}

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

data center - tendências e desafios

video


Uma infinidade de dados circulam a cada segundo por processadores e discos rígidos. Quando você navega na internet, o conteúdo que você visualizana tela do seu micro transita por sistemas como este antes de chegar ao seu computador. E esses sistemas precisam estar ligados, funcionando vinte e quatro horas por dia, sete dias por semana. Para que esse acesso seja contínuo, uma das principais preocupações de quem constrói um data center é como criar uma estrutura imune a erros, ou que ao menos evite ao máximo a possibilidade de falhas. Todos os detalhes têm de ser pensados.
A quantidade de dados que circula no mundo virtual cresce a taxas explosivas. E para acompanhar esse processo, os novos datacenters –como este, que está em fase de construção –, precisam se programar para receber conteúdo e equipamentos pensando nos próximos dez anos.
O coração dos datacenters são máquinas como essas: os servidores. Eles são computadores mais parrudos, feitos para trabalhar sem parar e atender grandes cargas de processamento. A refrigeração dos servidores é o fator que mais influencia no consumo de energia de um datacenter. Para você ter uma ideia, o Google pretende construir um datacenter no meio do oceano para lidar melhor com o problema de refrigeração. Países frios estão se dando bem nesse mercado. A Finlândia mesmo, está sendo bem cotada para a construção de novos data centers porque a necessidade de instalar aparelhos de ar condicionado se torna menor. Um bom data center precisa manter o equilíbrio entre calor e frio para refrigerar bem as máquinas. Para criar essa harmonia, os servidores sugam o ar frio pela frente. O calor gerado pela máquina é jogado para trás. Dessa forma, se formam corredores de ar frio e ar quente. E é essa separação de ares que permite o bom funcionamento dos aparelhos e a economia de energia.
 
Existe um ranking mundial que define quais são os melhores data centers. A escala vai de um a quatro, e oficialmente apenas um datacenter brasileiro possui a nota máxima.
Alta tecnologia que não adianta de nada sem energia elétrica. Para se proteger de possíveis apagões, os datacenters contam com geradores gigantes como estes aqui, movidos a diesel.
Segurança é outro item vital. Os vidros e as portas de acesso são blindadas, câmeras de segurança ficam espalhadas pelos corredores e a entrada só é permitida com um cartão especial ou a digital da pessoa.
Os cérebros da era digital são construções complexas. E elas enfrentam muitos desafios, como o consumo de energia elétrica. Em nosso site você também descobre como funciona um servidor verde, que consome quantidades menores de energia e que começam a ser usados nos datacenters mais modernos.
extraído integralmente de:
http://olhardigital.uol.com.br/jovem/central_de_videos/voce-sabe-como-funciona-um-datacenter/13470/integra

sábado, 7 de agosto de 2010

Pesquisa Operacional - modelagem de problemas

PRINCIPIOS DO PROCESSO DE MODELAGEM

O processo de busca de uma visão bem estruturada da realidade é fundamentalmente um fenômeno de modelagem.
Um modelo é um veiculo para uma visão bem estruturada da realidade e pode também ser visto, com os devidos cuidados, como uma representação substitutiva da realidade.
No dia-a-dia lidamos com modelos: explicação com fotografias, representações de planos sólidos através de equações matemáticas.
O poder da representatividade é a característica do modelo que o torna desejável e a capacidade de simplificação lhe confere a factibilidade operacional:  implementação possivel e onerosa. A verificação desse processo de representatividade é denominada validação do modelo, sendo um etapa indispensável em qualquer procedimento cientifico.
A confiabilidade da solução é obtida através do modelo, na representação do sistema real.

MODELOS DE FÁCIL COMPREENÇÃO NÃO IMPLICAM EM FÁCIL RESOLUÇÃO E VICE-VERSA

A Pesquisa Operacional congrega diversas das mais consagradas técnicas de modelagem matemática e os principais modelos de PO são denominados de programação matemática sendo que, na maioria dos casos,  a programação leva a programação computacional.

MODELAGEM MATEMATICA
um apoio à tomada de decisão

A programação matematica, na pratica, é fortemente direcionada ao apoio da tomada de decisão no gerenciamento de sistemas de grande porte, especialmente no que diz respeito ao tratamento de variáveis quantificados.

*Decisões e ações são o produto final do trabalho de gerentes, executivos, engenheiros, politicos e outros.

Mundo empresarial: maximizar lucro ou minimizar despesas


PROGRAMAÇÃO LINEAR


Características dos modelos de PL

Nos modelos matemáticos, a representação de determinado sistema é geralmente realizada por um conjunto de equações ou expressões matemáticas.

Conjuntos principais de elementos em um modelo matematico:

* variáveis de decisão e parãmetros (entradas);
* restrições (equações e inequações); e
* Função objetiva: função matemática que define a qualidade da solução em função das variáveis de decisão.



ALGORITMOS EFICIENTES: simplex, pontos interiores, etc
SOLUÇÕES: CPLEX, Xpress,  Lp solve, SCIP.

]
FORMULAÇÃO TÍPICA DE UM PROBLEMA DE PROGRAMAÇÃO LINEAR

Maximizar (ou minimizar)

Z = C1x1 + C2X2 + ... + CnXn

onde:
Cn = variáveis de decisão
Z = função objetiva

obs: colunas: variáveis de decisão
       linhas: restrições

Sujeito a:

A11X1 + A12X2 + ... + A1nXn <= ou = ou >= b1
A21X1 + A22X2 + ... + A2nXn <= ou = ou >= b2
.
.
.
Am1X1 + Am2X2 + ... + AmnXn <= ou = ou >= bn

onde Xi >= 0, i = 1 ... n

* função objetiva: maximizar ou minimizar 
     +  expressa em termos das varáveis de decisões.
* Restrições: equações e/ou inequações:  =, >=, <=
    + representam, dependendo do caso, limitações da situação real, como escassez de recursos, limitações legais, etc.
* Idéia central: maximizar (ou minimizar) a função objetivo, ao mesmo tempo, obedecando a todas as restrições.

TERMINOLOGIA BÁSICA

* Solução viável: atende a todas as restrições;
* Solução inviável: não atende pelo menos a 1 restrição;
* Região viável: conjunto que possui todas as soluções viáveis;
* Problema inviável: não tem solução;
* Solução ótima: a mais favorável ( maior valor possível de soluções)



quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Média salarial dos Profissional de TI



Média salarial de um profissional de TI.

Cargo mínimo médio máximo
Gerente de e-commerce 13.334 15.156 20.622
Webmaster 6.139 6.798 8.121
Webdesigner 3.814 4.613 5.457
Analista de sistemas de internet 6.875 8.988 9.123
Analista progr. sistemas sênior 6.822 7.946 9.878
Analista progr. sistemas pleno 5.466 6.067 8.145
Analista progr. sistemas júnior 3.262 3.799 6.585
Analista de suporte técnico 3.875 4.556 5.623
Gerente de sistemas 15.596 18.088 22.529
Chefe de sistemas 7.282 8.583 11.325
Analista de sistemas sênior 6.299 7.897 8.665
Analista de sistemas pleno 4.852 5.683 8.318
Analista de sistemas júnior 4.143 4.423 5.718
Administrador de banco de dados sênior 6.759 8.600 9.770
Administrador de banco de dados pleno 5.139 5.256 5.372
Administrador de banco de dados jr. 3.630 3.865 4.272
Gerente de projetos de sistemas 12.995 13.873 15.596
Coordenador de projetos de sistemas 7.450 10.248 12.477
Analista de projetos de sistemas sr. 6.033 7.004 9.209
Analista de projetos de sistemas pl. 4.795 5.228 5.623
Analista de projetos de sistemas jr. 3.165 3.735 4.241
Chefe programação de sistemas 7.979 8.367 10.550
Analista programador sr. – cliente/serv 4.980 6.092 7.415
Analista programador pl. – cliente/serv 4.607 4.906 5.503
Analista programador jr. – cliente/serv 4.112 4.184 4.428
Analista programador sr. – micro 5.025 5.080 5.098
Analista programador pl. – micro 4.506 4.690 4.877
Analista programador jr. – micro 2.759 3.432 3.824
Operador de computador sr. 2.554 2.815 3.434
Operador de computador pl. 2.054 2.297 2.794
Operador de computador jr. 1.765 1.909 2.190
Gerente de suporte técnico 11.857 11.993 14.423
Chefe de suporte técnico 6.640 8.664 12.055
Analista de suporte técnico sr. 6.650 7.232 9.123
Analista de suporte técnico pl. 5.173 5.538 6.217
Analista de suporte técnico jr. 2.243 3.447 4.991
Engenheiro de sistemas – software 5.541 5.550 5.562
Gerente produção de operações 6.303 8.372 12.193
Analista de produção sr. 4.747 4.817 5.443
Analista de produção pl. 3.973 4.125 4.222
Gerente segurança de sistemas sr. 11.060 12.192 14.333
Analista segurança de sistemas sr. 6.378 6.488 6.599
Analista segurança de sistemas pl. 3.737 4.611 5.416
Analista segurança de sistemas jr. 3.821 4.406 4.991
Consultor TI especializado 6.057 7.725 11.034
Consultor TI funcional 5.708 6.174 8.561
Analista de negócios 5.096 5.675 6.033
Gerente de telecomunicações 16.678 19.552 24.260
Engenheiro de telecomunicações sr. 6.202 7.554 10.046
Engenheiro de telecomunicações pl. 4.746 5.925 8.594
Engenheiro de telecomunicações jr. 4.072 4.278 5.107
Chefe de telecomunicações 6.875 11.253 12.833
Analista de telecomunicações sr. 7.282 7.993 8.702
Analista de telecomunicações pl. 5.571 5.777 5.828
Analista de telecomunicações jr. 3.224 3.409 4.191
Técnico de telecomunicações sr. 3.021 4.515 7.329
Técnico de telecomunicações pl. 3.228 3.767 5.976
Técnico de telecomunicações jr. 2.275 2.691 4.251
Os valores dos salários são em R$ (Real – Brasil).

artigo retirado integralmente e disponível em: http://newtoncalegari.com/blog/salario-dos-profissionais-de-ti-tecnologia-da-informacao/

INFO Exame divulga melhores do ano



04 de agosto de 2010
 
Net, que realizou a primeira transmissão ao vivo em HD 3D no Brasil, foi eleita a melhor empresa de 2009.
No ranking elaborado pela revista INFO Exame, que conta com as 200 melhores e maiores empresas de computação, telecomunicações e internet no Brasil, a NET ficou com o prêmio de empresa do ano.

'Somos uma empresa que trabalha e investe constantemente para levar inovações aos clientes. Ficamos muito satisfeitos em ver nosso trabalho reconhecido por uma das mais respeitadas publicações de tecnologia,' afirma:

José Antonio Félix, presidente da NET Serviços.

Neste ano, a NET realizou a primeira transmissão ao vivo em HD 3D do Brasil. Também ampliou seu portfólio de produtos e lançou novos pacotes do NET Virtua, inclusive a internet popular, de R$29,80 com banda de 1mbps.
 
IP NEWS - VoIP




artigo retirado integralmente, e disponível em: http://www.ipnews.com.br/voip/referencias/corporacoes/info-exame-divulga-melhores-do-ano.html

domingo, 1 de agosto de 2010

Concurso do Ministério Público da União 2010



O Ministério Público da União (MPU) está com inscrições abertas para o concurso público para provimento de cargos de cadastro de reserva para as carreiras de analista e técnico para a MPU.

INFORMAÇÕES GERAIS


  • Instituição:Ministério Público da União (MPU)

  • Banca Examinadora: CESPE

  • Situaçã: Concurso com Inscrições Abertas

  • Total de Vaga: 594 vagas imediatas mais cadastro de reserva

  • Remuneração:de R$ 3.993,09 a R$ 6.551,52

  • Taxa de Inscriçã:de R$ 50,00 (técnico) a R$ 65,00 (superior)

  • Datas de Inscriçã: de 07/07/2010 a 08/08/2010

  • Data da Prova: 11/09/2010

  • Região:Nacional

  • Escolaridade: Médio, Superior

  • Área: Outras

AS INSCRIÇÕES SOMENTE PELA INTERNET
acesse: http://www.cespe.unb.br/concursos/mpu2010

O edital nº 1 de 30 de junho de 2010, dispõe a execução do concurso nas fases a seguir:

1-  Provas objetivas (eliminatório e classificatório) para todos os cargos;
2- Prova discursiva (eliminatório e classificatório) com exceção dos cargos de tecnico de Apoio Especializado/Segurança e de Técnico de Apoio Especializado/Transporte;
3- teste de aptidão física, de caráter eliminatório, somente para os cargos de Técnico de Apoio Especializado/Segurança e de Técnico de Apoio Especializado/Transporte; e
4- prova prática de direção veicular, de caráter eliminatório, para os cargos de Técnico de Apoio Especializado/Segurança e de Técnico de Apoio Especializado/Transporte.

Para a área de TI (Tecnologia da Informação), os cargos para nível superior são:



 CARGO 24: ANALISTA DE INFORMÁTICA/BANCO DE DADOS
REQUISITOS DE INVESTIDURA: Diploma de graduação na área de Tecnologia da Informação, devidamente reconhecido; ou Diploma de graduação em outro curso superior, acompanhado de diploma/certificado de Curso de Pós-Graduação ou Extensão na área de Tecnologia da Informação, devidamente reconhecidos.
ATRIBUIÇÕES: Realizar atividades de nível superior que envolvam a elaboração de projetos para criação e manutenção de banco de dados corporativo, planejando seu layout físico e lógico; a instalação, configuração, gerenciamento, monitoramento e ajuste do funcionamento de sistemas gerenciadores de banco de dados; a criação de estratégias de auditoria e melhoria da performance do banco de dados, realizando a instalação de upgrades, downgrades, patches e releases, incluindo a realização de atividades de backup e restore; o planejamento, coordenação e execução das migrações de dados de sistemas, bem como replicação e atualização de bases de dados em produção para desenvolvimento por meio de importações/exportações de banco de dados; o monitoramento das aplicações, efetuando ajustes de desempenho (tunning) de aplicação e de banco de dados, propondo ajustes de melhorias nos programas e aplicações; o monitoramento da utilização de memória, processador, acesso a discos, volume de dados dos bancos de dados; a prestação de suporte técnico a usuários e desenvolvedores; a emissão de pareceres técnicos, relatórios, informações e outros documentos oficiais; a elaboração de documentação técnica relativa aos procedimentos e controles; a elaboração de especificações técnicas de bens e serviços de tecnologia da informação relacionados a sua área de atuação; a gestão de contratos com fornecedores de bens e serviços de tecnologia da informação; a realização de atividades que exijam conhecimentos específicos e aprofundados de informática; outras de mesma natureza e grau de complexidade que venham a ser determinadas pela autoridade superior.

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS PARA REALIZAÇÃO DA PROVA
I GOVERNANÇA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO: Conceitos básicos; planejamento estratégico; gerência de portfólio; escritório de projetos: implantação, estrutura e funcionamento. 

II COBIT 4.1: conceitos básicos, estrutura e objetivos, requisitos da informação, recursos de tecnologia da informação, domínios, processos e objetivos de controle. III ITIL v.3: conceitos básicos, estrutura e objetivos; processos e funções de estratégia, desenho, transição e operação de serviços. 

IV PMBOK 4ª edição: conceitos básicos, estrutura e objetivos; projetos e a organização; ciclo de vida de projeto e de produto; processos, grupos de processo e áreas de conhecimento. 

V CONTRATAÇÃO DE BENS E SERVIÇOS DE TI: aspectos específicos da contratação de bens e serviços de TI; Instrução Normativa nº 4, de 19/5/2008, do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão; elaboração de projetos básicos para contratação de bens e serviços de TI; acompanhamento de contratos de TI. 

VI INGLÊS TÉCNICO. VII FUNDAMENTOS DE ADMINISTRAÇÃO DE DADOS: Entidades, atributos, chaves e relacionamentos; normalização. 

VIII FUNDAMENTOS DE BANCO DE DADOS: Arquitetura, modelos lógicos e representação física; organização de arquivos e métodos de acesso; linguagens de definição e manipulação de dados em SGBDs relacionais; linguagens de definição (DDL), manipulação (DML), controle (DCL) e transação (DTL) de dados em SGBDs relacionais; sistemas de suporte a decisão; conceitos básicos, arquiteturas e aplicações de Data Warehouse, ETL, OLAP e Data Mining; técnicas de modelagem e otimização de bases de dados multidimensionais; cluster de banco de dados. 

IX ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS RELACIONAIS:
Projeto e implantação de SGBDs relacionais; administração de usuários e perfis de acesso; controle de
proteção, integridade e concorrência; backup e restauração de dados; tolerância a falhas e continuidade
de operação; monitoração e otimização de desempenho; 

X ORACLE, POSTGRES e MYSQL: Fundamentos, instalação, administração e configuração; performance e detecção de problemas; XI PLSQL: Conceitos e comandos. 

XII SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO: auditoria, sistemas de criptografia e suas aplicações; assinatura e certificação digital; norma ABNT NBR ISO/IEC 27002:2005(Análise/Avaliação e tratamento dos riscos; política de segurança da informação; gestão de ativos; controle de acessos; aquisição, desenvolvimento e manutenção de sistemas de informação; gestão da continuidade do negócio).

CARGO 25: ANALISTA DE INFORMÁTICA/DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS
REQUISITOS DE INVESTIDURA: Diploma de graduação na área de Tecnologia da Informação, devidamente reconhecido; ou Diploma de graduação em outro curso superior, acompanhado de diploma/certificado de Curso de Pós-Graduação ou Extensão na área de Tecnologia da Informação, devidamente reconhecidos.
ATRIBUIÇÕES: Realizar atividades de nível superior que envolvam a gestão de informação, análise e diagnóstico das necessidades dos usuários; a coordenação e geração de processos de desenvolvimento de sistemas; o estabelecimento e o monitoramento da utilização de normas e padrões para o desenvolvimento de sistemas; a elaboração de projetos de sistemas de informação de acordo com a metodologia de desenvolvimento de sistemas vigente; o levantamento e a especificação dos casos de uso, utilizando artefatos definidos na metodologia; a construção de protótipos de telas e sistemas; a elaboração, implementação e testagem dos códigos de programas, de acordo com o plano de teste dos sistemas; a produção de documentação necessária para os usuários dos sistemas de informação; o assessoramento técnico no que se refere a prazos, recursos e alternativas de desenvolvimento de sistemas, efetuando a prospecção, análise e implementação de novas ferramentas de desenvolvimento; a realização de treinamentos relativos à utilização dos sistemas de informação, ferramentas de acesso e manipulação de dados; a realização de alterações, manutenções e adequações necessárias ao bom funcionamento dos sistemas; o acompanhamento e avaliação do desempenho dos sistemas implantados, identificando e providenciando as medidas corretivas competentes; o desenvolvimento do planejamento estratégico e análise de sistemas de informações; a administração dos componentes reusáveis e repositórios; a certificação e inspeção dos modelos e códigos de sistemas; a elaboração e manutenção do modelo corporativo de dados; a administração dos dados; a elaboração de especificações técnicas de bens e serviços de tecnologia da informação relacionados a sua área de atuação; a gestão de contratos com fornecedores de bens e serviços de tecnologia da informação; a
realização de atividades que exijam conhecimentos específicos e aprofundados de informática; outras de mesma natureza e grau de complexidade que venham a ser determinadas pela autoridade superior.

 CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS PARA REALIZAÇÃO DA PROVA

I GOVERNANÇA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO: Conceitos básicos; planejamento estratégico; gerência de portfólio; escritório de projetos: implantação, estrutura e funcionamento.

II COBIT 4.1: conceitos básicos, estrutura e objetivos, requisitos da informação, recursos de tecnologia da informação, domínios, processos e objetivos de controle. 

III ITIL v.3: conceitos básicos, estrutura e objetivos; processos e funções de estratégia, desenho, transição e operação de serviços.

IV PMBOK 4ª edição: conceitos básicos, estrutura e objetivos; projetos e a organização; ciclo de vida de projeto e de produto; processos, grupos de processo e áreas de conhecimento. 

V CONTRATAÇÃO DE BENS E SERVIÇOS DE TI: aspectos específicos da contratação de bens e serviços de TI; Instrução Normativa nº 4, de 19/5/2008, do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão; elaboração de projetos básicos para contratação de bens e serviços de TI; acompanhamento de contratos de TI. 

VI INGLÊS TÉCNICO. VII LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO: Construção de algoritmos; tipos de dados simples e estruturados; variáveis e constantes; comandos de atribuição, entrada e saída; avaliação de expressões; funções pré-definidas; conceito de bloco de comandos; estruturas de controle, seleção, repetição e desvio; operadores e expressões; passagem de parâmetros; recursividade; conceitos básicos de programação estruturada e orientada a objetos; métodos de ordenação, pesquisa e “hashing”. 

VIII ENGENHARIA DE REQUISITOS:
Conceitos básicos; técnicas de elicitação de requisitos; gerenciamento de requisitos; especificação de
requisitos; técnicas de validação de requisitos; prototipação.

IX QUALIDADE DE SOFTWARE: Metodologias de desenvolvimento de software; processo unificado: conceitos, diretrizes, disciplinas; metodologias ágeis; métricas e estimativas de software; análise por pontos de função. X CMMI: Conceitos básicos, estrutura e objetivos, disciplinas e formas de representação, níveis de capacidade e maturidade, processos e categoria de processos; MPS-BR. 

XI ANÁLISE E PROJETO ORIENTADOS A OBJETOS: Conceitos básicos, padrões de projetos. XII UML: Visão geral, modelos e diagramas. 

XIII PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS: Conceitos básicos: classes, objetos, métodos, mensagens, sobrecarga, herança, polimorfismo, interfaces e pacotes; tratamento de exceção. 

XIV LINGUAGENS E TECNOLOGIAS DE PROGRAMAÇÃO: Linguagens de programação Java e PHP; Javascript; AJAX; XML; Framework JBoss Seam; Web Services; noções de servidores de aplicação Java; Eclipse; ferramentas de gerência de configuração; práticas ágeis: Integração contínua, Test-driven Development (TDD), Refactoring; Framework ExtJS; Design Patterns. XV TESTES: Teste funcional e de unidade. 

XVI SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO: auditoria; sistemas de criptografia e suas aplicações; assinatura e
certificação digital; ABNT NBR ISO/IEC 27002-2005: Análise/avaliação e tratamento dos riscos; política de segurança da informação; gestão de ativos; controle de acessos; desenvolvimento e manutenção de sistemas de informação; gestão da continuidade do negócio. 

XVII BANCO DE DADOS: Modelo de entidade-relacionamento (MER); modelo conceitual, lógico e físico; conceitos básicos de banco de dados: esquema, tabelas, campos, registros, índices, relacionamentos, transação, triggers, tipos de bancos de dados; normalização de dados: conceitos, primeira, segunda e terceira formas normais. 

XVIII DML: Linguagem de manipulação de dados. 

XIX DDL: Linguagem de definição de dados. 

XX SOLUÇÕES DE SUPORTE À DECISÃO: Data warehouse; OLAP; business inteligence (BI); modelagem multidimensional; extract, transform and load (ETL).


CARGO 26: ANALISTA DE INFORMÁTICA/PERITO
REQUISITOS DE INVESTIDURA: Diploma de graduação na área de Tecnologia da Informação, devidamente reconhecido; ou Diploma de graduação em outro curso superior, acompanhado de diploma/certificado de Curso de Pós-Graduação ou Extensão na área de Tecnologia da Informação, devidamente reconhecidos.

ATRIBUIÇÕES: Realizar atividades de nível superior que envolvam a gestão de informação, análise e diagnóstico das necessidades dos usuários; a coordenação e geração de processos de desenvolvimento de sistemas; o estabelecimento e o monitoramento da utilização de normas e padrões para o desenvolvimento de sistemas; a elaboração de projetos de sistemas de informação de acordo com a metodologia de desenvolvimento de sistemas vigente; o levantamento e a especificação dos casos de uso, utilizando artefatos definidos na metodologia; a construção de protótipos de telas e sistemas; a elaboração, implementação e testagem dos códigos de programas, de acordo com o plano de teste dos sistemas; a produção de documentação necessária para os usuários dos sistemas de informação; o assessoramento técnico no que se refere a prazos, recursos e alternativas de desenvolvimento de sistemas, efetuando a prospecção, análise e implementação de novas ferramentas de desenvolvimento; a realização de treinamentos relativos à utilização dos sistemas de informação, ferramentas de acesso e manipulação de dados; a realização de alterações, manutenções e adequações necessárias ao bom funcionamento dos sistemas; o acompanhamento e avaliação do desempenho dos sistemas implantados, identificando e providenciando as medidas corretivas competentes; o desenvolvimento do planejamento estratégico e análise de sistemas de informações; a administração dos componentes reusáveis e repositórios; a certificação e inspeção dos modelos e códigos de sistemas; a elaboração e  manutenção do modelo corporativo de dados; a administração dos dados; a elaboração de especificações técnicas de bens e serviços de tecnologia da informação relacionados a sua área de atuação; a gestão de contratos com fornecedores de bens e serviços de tecnologia da informação; a
realização de atividades que exijam conhecimentos específicos e aprofundados de informática; outras de mesma natureza e grau de complexidade que venham a ser determinadas pela autoridade superior.

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS PARA REALIZAÇÃO DA PROVA

 I - DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS
 1 Sistemas transacionais. Arquitetura e padrões de projeto JEE. Desenvolvimento web: servlets, JSP e Ajax.
Frameworks JSF e Hibernate. 

2 Bancos de dados. Técnicas de análise de desempenho e otimização de consultas SQL. 

3 Sistemas de suporte a decisão. Conceitos básicos, arquiteturas e aplicações de datawarehousing, ETL, Olap e data mining. Técnicas de modelagem e otimização de bases de dados multidimensionais. 

4 Sistemas de gestão de conteúdo. Arquitetura de informação: conceitos básicos e aplicações. Portais corporativos: conceitos básicos e aplicações, portlets, RSS. Acessibilidade na web: conceitos básicos, recomendações W3C, e-Mag. Workflow e gerenciamento eletrônico de documentos.
 
5 Interoperabilidade de sistemas. SOA e Web services: conceitos básicos e aplicações. Padrões XML,
XSLT, UDDI, WSDL e Soap. Arquitetura e-Ping.

II GESTÃO E GOVERNANÇA DE TI. 
1 Gestão estratégica.Planejamento estratégico de negócio. Planejamento estratégico de TI. Alinhamento estratégico entre TI e negócio. 
2 Gerenciamento de projetos – PMBOK. Conceitos básicos, estrutura e objetivos. Projetos e a organização. Ciclo de vida de projeto e ciclo de vida do produto. Processos, grupos de processos e áreas de conhecimento. 
3 Gerenciamento de serviços – ITIL v3. Conceitos básicos, estrutura e objetivos. Processos e funções de estratégia, desenho, transição e operação de serviços. 
4 Governança de TI – COBIT. Conceitos básicos, estrutura e objetivos. Requisitos da informação. Recursos de tecnologia da informação. Domínios, processos e objetivos de controle. 5 Qualidade de software – CMMI. Conceitos básicos, estrutura e objetivos. Disciplinas e formas de representação. Níveis de capacidade e maturidade. Processos e categorias de processos. 

III REDES DE COMUNICAÇÃO: Meios de transmissão; técnicas básicas de comunicação de dados; técnicas de comutação de circuitos, pacotes e células; topologias de redes de computadores; arquitetura e protocolos de redes de comunicação de dados; modelo de referência OSI; tecnologias de rede local Ethernet/Fast Ethernet/Gibabit Ethernet; fibras ópticas; redes sem fio (wireless); elementos de interconexão de redes de computadores (gateways, hubs, repetidores, bridges, switches, roteadores); redes locais virtuais (IEEE 802.1Q); qualidade de serviço(QoS), priorização de pacotes (IEEE 802.1p); aplicações de voz e imagem sobre redes, protocolo SIP, serviços multicast, “streaming” de áudio e vídeo; elementos dos serviços de voz e vídeo sobre IP (gateways de voz, gatekeepers, SIP Servers, MCUs, Codecs); redes de longa distância; redes ATM, Frame- Relay e MPLS; serviços de diretório, padrão X.500 e LDAP; Internet; protocolo TCP/IP; protocolo ICMP; técnicas de roteamento de pacotes de dados(rotas estáticas e protocolos de roteamento dinâmico RIP, OSPF e BGP); serviços de nomes de domínios (DNS); serviço DHCP; serviços HTTP e HTTPS; serviço de transferência de mensagens SMTP; protocolo SNMP; 

IV SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO: Vulnerabilidades e ataques a sistemas computacionais. Algoritmos de criptografia simétricos e assimétricos; assinatura e certificação digital; VPN e VPN-SSL; Firewall; prevenção de intrusão; Proxy; filtro de conteúdo WEB; combate a códigos maliciosos; norma ABNT NBR ISO/IEC 27002:2005 (Análise/Avaliação e tratamento dos riscos, política de segurança da informação, gestão de ativos, segurança física e do ambiente, gerenciamento das operações e comunicações, controle de acessos, aquisição, desenvolvimento e manutenção de sistemas de informação, gestão de incidentes de segurança da informação e gestão da continuidade do negócio).

CARGO 27: ANALISTA DE INFORMÁTICA/SUPORTE TÉCNICO
REQUISITOS DE INVESTIDURA: Diploma de graduação na área de Tecnologia da Informação, devidamente reconhecido; ou Diploma de graduação em outro curso superior, acompanhado de diploma/certificado de Curso de Pós-Graduação ou Extensão na área de Tecnologia da Informação, devidamente reconhecidos.
ATRIBUIÇÕES: Realizar atividades de nível superior que envolvam o projeto de redes de computadores, definindo a topologia e a configuração necessária; a avaliação, especificação e dimensionamento dos recursos de comunicação de dados; a instalação, customização e manutenção dos recursos de rede; a análise de utilização e do desempenho das redes de computadores, identificando os problemas e promovendo as correções no ambiente operacional; o planejamento da evolução da rede, visando a melhoria na qualidade dos serviços; a prestação do suporte técnico e de consultoria relativamente à aquisição, à implantação e ao uso adequados dos recursos de rede; a avaliação e especificação das necessidades de hardware e software básico e de apoio; a configuração de ambientes operacionais; a instalação, customização e manutenção de software básico e de apoio; a análise do desempenho do ambiente operacional, efetuando as adequações necessárias; a análise da utilização dos recursos de software e hardware e o planejamento da evolução do ambiente, visando a melhoria na qualidade do serviço; a prestação de consultoria e suporte técnico relativamente à aquisição, implantação e uso adequado dos recursos de hardware e software; a prospecção, análise e implementação de novos recursos de hardware, software e rede, visando a sua utilização na organização; a análise da viabilidade de instalação de novas aplicações no ambiente operacional da organização, objetivando manter o padrão de desempenho de serviços implantados; o desenvolvimento de sistemáticas, estudos, normas, procedimentos e padronização das características técnicas, visando a melhoria da segurança e dos serviços prestados; a elaboração de especificações técnicas de bens e serviços de tecnologia da informação relacionados a sua área de atuação; a gestão de contratos com fornecedores de bens e serviços de tecnologia da informação; a realização de atividades que exijam conhecimentos específicos e aprofundados de informática; outras de mesma natureza e grau de complexidade que venham a ser determinadas pela autoridade superior.

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS PARA REALIZAÇÃO DA PROVA
 
 I GOVERNANÇA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO: Conceitos básicos; planejamento estratégico; gerência de portfólio; escritório de projetos: implantação, estrutura e funcionamento. 

II COBIT 4.1: conceitos básicos, estrutura e objetivos, requisitos da informação, recursos de tecnologia da informação, domínios, processos e objetivos de controle. 

III ITIL v.3: conceitos básicos, estrutura e objetivos; processos e funções de estratégia, desenho, transição e operação de serviços. 

IV PMBOK 4ª edição: conceitos básicos, estrutura e objetivos; projetos e a organização; ciclo de vida de projeto e de produto; processos, grupos de processo e áreas de conhecimento. 

V CONTRATAÇÃO DE BENS E SERVIÇOS DE TI: aspectos específicos da
contratação de bens e serviços de TI; Instrução Normativa nº 4, de 19/5/2008, do Ministério do
Planejamento, Orçamento e Gestão; elaboração de projetos básicos para contratação de bens e serviços
de TI; acompanhamento de contratos de TI. 

VI INGLÊS TÉCNICO. 

VII REDES DE COMUNICAÇÃO: Meios de transmissão; técnicas básicas de comunicação de dados; técnicas de comutação de circuitos, pacotes e células; topologias de redes de computadores; arquitetura e protocolos de redes de comunicação de dados; modelo de referência OSI; tecnologias de rede local Ethernet/Fast Ethernet/Gibabit Ethernet; fibras ópticas; redes sem fio (wireless); elementos de interconexão de redes de computadores (gateways, hubs, repetidores, bridges, switches, roteadores); redes locais virtuais (IEEE 802.1Q); qualidade de serviço(QoS), priorização de pacotes (IEEE 802.1p); aplicações de voz e imagem sobre redes, protocolo SIP, serviços multicast, “streaming” de áudio e vídeo; elementos dos serviços de voz e vídeo sobre IP (gateways de voz, gatekeepers, SIP Servers, MCUs, Codecs); redes de longa distância; redes ATM, Frame-Relay e MPLS; serviços de diretório, padrão X.500 e LDAP; Internet; protocolo TCP/IP; protocolo ICMP; técnicas de roteamento de pacotes de dados(rotas estáticas e protocolos de roteamento dinâmico RIP, OSPF e BGP); serviços de nomes de domínios (DNS); serviço DHCP; serviços HTTP e HTTPS; serviço de transferência de mensagens SMTP; protocolo SNMP. 

VIII SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO: Vulnerabilidades e ataques a sistemas computacionais. Algoritmos de criptografia simétricos e assimétricos; assinatura e certificação digital; VPN e VPN-SSL; Firewall; prevenção de intrusão; Proxy; filtro de conteúdo WEB; combate a códigos maliciosos; norma ABNT NBR ISO/IEC 27002:2005 (Análise/Avaliação e tratamento dos riscos, política de segurança da informação, gestão de ativos, segurança física e do ambiente, gerenciamento das operações e comunicações, controle de acessos, aquisição, desenvolvimento e manutenção de sistemas de informação, gestão de incidentes de segurança da informação e gestão da continuidade do negócio). 

IX SISTEMAS OPERACIONAIS WINDOWS 2003 SERVER e LINUX: Fundamentos; instalação, administração e configuração; performance e detecção de problemas; conceitos de ambientes virtualizados.

PARA NÍVEL MÉDIO

CARGO 52: TÉCNICO DE INFORMÁTICA
REQUISITOS DE INVESTIDURA: Certificado de Conclusão do Ensino Médio, acrescido de curso técnico na área de Tecnologia da Informação.

ATRIBUIÇÕES: Realizar atividades de nível intermediário que envolvam a adequada automatização de rotinas, por intermédio do desenvolvimento, codificação, teste, implantação, documentação e manutenção dos programas e sistemas; a verificação, a preparação e a operação de equipamentos de informática, com a transferência de dados para sistemas automatizados; o atendimento aos usuários; a realização de trabalhos que exijam conhecimentos básicos e/ou específicos de informática; outras atividades de mesma natureza e grau de complexidade que venham a ser determinadas pela autoridade superior.

CONHECIMENTOS ESPECIFICOS PARA REALIZAÇÃO DAS PROVAS

I SUPORTE TÉCNICO: Fundamentos de computação; organização e arquitetura de computadores; componentes de um computador (hardware e software); sistemas de entrada e saída; sistemas de numeração e codificação; aritmética computacional; princípios de sistemas operacionais; características dos principais processadores do mercado; ambientes Windows (XP e Windows 7) e Linux; Internet e Intranet; utilização de tecnologias, ferramentas, aplicativos e procedimentos associados a Internet/Intranet; ferramentas e aplicativos de navegação, de correio eletrônico, de grupos de discussão, de busca e pesquisa; conceitos de protocolos, World Wide Web, organização de informação para uso na Internet, transferência de informação e arquivos, aplicativos de áudio, vídeo, multimídia; acesso à distância a computadores; conceitos de proteção e segurança da informação; procedimentos, aplicativos e dispositivos para armazenamento de dados e para realização de cópia de segurança (backup); conceitos de organização e gerenciamento de arquivos e pastas.
Instalação de programas e periféricos em microcomputadores; principais aplicativos comerciais para:
edição de textos e planilhas, geração de material escrito e multimídia; tecnologias de rede local
Ethernet/Fast Ethernet/Gibabit Ethernet; Cabeamento: Par trançado sem blindagem - categoria 5E e 6;
fibras ópticas; redes sem fio (wireless). Elementos de interconexão de redes de computadores
(gateways, hubs, repetidores, bridges, switches, roteadores); protocolo TCP/IP; serviços de nomes de
domínios (DNS); serviço DHCP; serviços HTTP e HTTPS; serviço de transferência de mensagens SMTP;
proxy. 

II SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO: Conceitos básicos de “firewall”; Prevenção de intrusão;
auditoria; sistemas de criptografia e suas aplicações; 

III PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS:
Conceitos básicos: classes, objetos, métodos, mensagens, sobrecarga, herança, polimorfismo, interfaces
e pacotes; tratamento de exceção. 

IV LINGUAGENS E TECNOLOGIAS DE PROGRAMAÇÃO: Linguagens de programação Java e PHP; AJAX; XML; Web Services; noções de servidores de aplicação Java; Eclipse; ferramentas de gerência de configuração; práticas ágeis: Integração contínua, Test-driven Development (TDD), Refactoring. Design Patterns; V TESTES: Teste funcional e de unidade. 

VI BANCO DE DADOS: MER
- Modelo de entidade-relacionamento; Modelo conceitual, lógico e físico; Conceitos básicos de banco de
dados: esquema, tabelas, campos, registros, índices, relacionamentos, transação, triggers, tipos de
bancos de dados; Normalização de dados: conceitos, primeira, segunda e terceira formas normais; 

VII DML: Linguagem de manipulação de dados;

VIII DDL: Linguagem de definição de dados.

IX Inglês Técnico.




FONTE: informações retiradas do edital do MPU, disponível para download em: 
http://concursos.ig.com.br/concurso/mpu-ministerio-publico-uniao-tecnicos-analistas-2010.aspx